MANIFESTAÇÃO MOBILIZA MILHARES DE POLICIAIS CIVIS, MILITARES, BOMBEIROS, AGENTES DE SEGURANÇA


Trata-se de marco nas tratativas estabelecidas entre o governo do Estado e os trabalhadores da Segurança Pública, o movimento realizado nesta sexta-feira (22), que contou com a presença de milhares de policiais civis, militares, bombeiros, agentes penitenciários e sócio-educativos, e que teve o fomento das entidades classistas e de parlamentares que representam o segmento na Câmara Federal e na Assembléia Legislativa do Estado. Os atos da manifestação tiveram como objetivo requerer canal de diálogo com o governo acerca de três pautas específicas: pagamento de décimo-terceiro salário, pagamento do salário no quinto dia útil e reposições salariais. O governo não abriu diálogo sobre as duas últimas e se ateve somente a primeira, que versa sobre o pagamento do décimo terceiro - quitação de 80% no mês de maio e os 20% no mês de junho - nos termos do que amplamente já foi difundido. A negociação foi intermediada pelos parlamentares presentes, com destaque das bancadas do PSL, o Deputado Federal Investigador de Policia Leo Motta (PSL/MG), Deputado Estadual Heli Grilo (PSL/MG), Sargento Rodrigues (PP), Subtenente Gonzaga (PDT), Cabo Junio Amaral (PSL), Coronel Sandro (PSL), Bruno Engler (PSL), Lincoln Portela (PRB), Alê Silva (PSL) e Igor Timo (Podemos). A atuação dos parlamentares foi um instrumento fundamental já que o governador se absteve em receber os representantes das entidades de classe, que permaneceram a todo momento junto aos presentes, na situação em que o Palácio do Governo se encontrava sitiado. Os atos iniciaram na Praça da Estação, sendo que, após o início do trajeto para a cidade administrativa, um dos oficiais que comandava o trânsito nas imediações da mobilização se arvorou em apreender o caminhão de som, momento em que fora questionado quanto ao procedimento adotado, e após exaltado foi ecoado pela multidão o dizer "coronel traíra". Após o início das negociações do governador com os parlamentares, restou estabelecido que o prazo pra proposta findava as 18h30, sob pena de recrudescimento do movimento. Chegado esse horário, falhas na comunicação, visto que algumas informações davam conta de que o governo chegaria a termo, mas queria mais tempo, parlamentares pedindo pra aguardar, no entanto, o Coronel Mendonça afirmou que o prazo dado ao governador se encerrava naquele momento e que diferente dele, as forças de segurança cumpririam o combinado. Em ato continuo os manifestantes tomaram as pistas da MG - 10, as quais permaneceram fechadas por duas horas, até decisão pelo desbloqueio. O bloqueio das pistas gerou enormes transtornos, pois, sendo o principal acesso ao aeroporto internacional de CONFINS, inúmeros passageiros com viagens marcadas perderam os embarques, outros se atrasaram muito para compromissos pré-agendados e tiveram notícias de que até vôos teriam sido cancelados, pois os membros das equipes das tripulações de bordo teriam ficado retidos no "caos" que se instalou na linha verde, o que denota, em última análise, que o movimento, apesar de composto por vários momentos de tensão, conflitos, impropérios propalados, vias de fato e lesões, surtiu o efeito pretendido. Com relação ao resultado prático, há que se reconhecer a melhora substancial nas condições do pagamento do décimo-terceiro em relação ao que antes foi proposto. A dúvida persiste em relação às próximas tratativas que serão estabelecidas com o governo. O SINDEP/MG parabeniza os Policiais Civis pelo ato de bravura de se deslocarem das suas rotinas, dos rincões do Estado para engrossar as fileiras, tanto na Praca da Estação quanto na Cidade Administrativa, na luta pelos nossos direitos. PUBLICAÇÃO DO GOVERNO FRENTE À MANIFESTAÇÃO OCORRIDA NESTA SEXTA-FEIRA (22) A publicação a seguir demonstra duvidosa a posição do Governo de Minas em cumprir o que foi prometido. Confira: "Considero justa a reivindicação dos servidores pelo 13º salário não honrado pelo governo anterior. É um direito que vai ser garantido em uma forma que ainda depende totalmente da disponibilidade de recursos no caixa único do Estado. Em virtude disso, também é justo que tenhamos tempo para criarmos condições financeiras para arcar com essa demanda trazida pelos manifestantes. Por isso, ontem, recebi parlamentares que estiveram à frente do movimento da classe da segurança pública para fazerem essa interlocução. Porque a visão do interesse público impera agora em Minas, independentemente de posições políticas ou siglas partidárias. Entretanto, nossa proposta não foi aceita pela liderança do movimento. Mas vamos continuar mantendo o diálogo transparente, com um objetivo primordial neste momento de extrema dificuldade: colocar o Estado novamente adimplente com o funcionalismo, prefeitos e fornecedores. Por outro lado, infelizmente, a manifestação por um direito legítimo dos servidores acabou por provocar efeitos prejudiciais ao restante da sociedade, que não poderia ser penalizada por isso. O fechamento da rodovia que liga a capital mineira ao aeroporto internacional provocou diversos transtornos para quem tinha compromisso nesse período de duas horas em que as pistas foram interrompidas. Por isso, também reivindicamos o direito ao cumprimento da ordem judicial que determinou a reabertura da via para garantir o direito de ir e vir da população. #MinasGerais #GovernodeMinas #NOVOGovernoMG #RomeuZema


© 2017 - SINDEP/MG

  • Facebook ícone social
  • Instagram

União. Justiça. Valorização.