2ª DPC DE CONTAGEM É O RETRATO DO SUCATEAMENTO E DA DESVALORIZAÇÃO DA PCMG


Nova inspeção sindical realizada pelo SINDEP/MG na Unidade Policial demonstrou situação caótica e degradante O presidente do SINDEP/MG, Bertone Tristão, e os diretores da entidade, Paulo Fernando e Luiza Felipe, junto a outros policiais civis, realizaram nesta terça-feira (5), uma nova inspeção sindical na 25ª AISP/2ª DPC de Contagem, já que, anteriormente o presidente do sindicato já havia atestado numa outra inspeção, no final do ano passado, diversos problemas graves na delegacia. As fotos que foram feitas do local retratam um local insalubre, totalmente impróprio para trabalhar, como também impróprio para o receber o cidadão. Como na inspeção anterior, os mesmos problemas continuam e se intensificam. O cartório destinado ao plantão da DRPC/Contagem - que funciona há mais de quatro anos no mesmo prédio que o 2° Distrito Policial de Contagem - foi cedido pela PMMG para a utilização dos Escrivães de Polícia; ainda assim em estado de deterioração com goteiras e infiltrações no teto sem luz, paredes mofadas, janelas quebradas e móveis caindo aos pedaços. Embora em compartimento do 2° Distrito de Contagem, a inspetoria padece das mesmas condições do cartório, com um agravante: fica adjacente a carceragem em condições muito pouco seguras. Os banheiros não tem iluminação, além de acometido por odores insuportáveis e desprovidos de materiais de higiene, que aliás no prédio não há. Inversão de valores: vítimas e testemunhas aguardam atendimentos "em pé", ou assentadas no meio-fio, enquanto marginais, conduzidos, flagranteados, recapturados ou que tiveram mandados de prisão cumpridos, se acomodam nas cadeiras disponíveis. Com referência ao efetivo, a demanda é desumana visto que são 700 mil habitantes em Contagem e três batalhões da PMMG. Hoje a delegacia tem apenas um Escrivão de Polícia que precisa dar conta de tudo sozinho. O presidente do SINDEP/MG ainda ressalta que a gestão anterior retirou 50% do efetivo de Escrivães de Polícia, sendo que as 5 equipes de plantão passou a contar com somente um, quando antes eram dois. Na inspeção anterior, o SINDEP/MG ainda mostrou a solução para melhoria principalmente do local de trabalho, que seria a conclusão das obras do prédio da Delegacia Regional que se arrastam há quase cinco anos, sendo que atualmente estão quase finalizadas. É importante esclarecer que um dos pontos identificados na inspeção foi que pelo menos um investigador do plantão é deslocado para fazer o plantão patrimonial no prédio em construção da Regional em virtude de obra já ter sido objeto de furto de materiais e cabos elétricos em duas oportunidades. A situação do investigador escalado para vigiar o prédio é desumana, pois além de ter que ficar na viatura o tempo todo, em frente ao prédio, não há lugar para alimentação e nem banheiro para ser utilizado. Conforme Bertone, foi relatado a ele que um dos plantonistas, num estado de exaustão, quando se encontrava no interior do viatura, foi surpreendido por um usuário de drogas, que socava o vidro do veículo. O SINDEP/MG ainda tentou conversar com a Delegada Regional, que não pode atender os diretores, porém uma resposta vai ser exigida da PCMG. Uma reunião foi agendada para esta quarta-feira, com a citada delegada para exposição de tudo o que foi constatado na inspeção. Por fim, novamente o SINDEP/MG aponta soluções para a situação da delegacia: 1) Disponibilização de mais servidores, notadamente Escrivão de Polícia; e 2) Conclusão do prédio da Delegacia Regional, que foi alvo de furtos em duas ocasiões, e teve as instalações elétricas furtadas e extraviadas, além de ter sido tomado por usuários de crack, marginais e mendigos. 


© 2017 - SINDEP/MG

  • Facebook ícone social
  • Instagram

União. Justiça. Valorização.