SINDEP/MG orienta a categoria policial civil a aderir à operação "braços cruzados" em razã


Já se tornou corriqueiro nesses últimos dois anos e quatro meses de parcelamento dos salários, o calote aplicado pelo atual governo do Estado de Minas Gerais.

Não obstante, vislumbra-se que o tratamento dispensado pelo governo de Minas aos POLICIAIS CIVIS, não se aplica a outros segmentos da administração do Estado, especialmente da Segurança Pública.

De acordo com a tabela divulgada pela SEPLAG, o pagamento da segunda parcela dos salários deveria ter sido creditado até a data de ontem (26/04), o que por si só, já se configuraria na relativização do direito do servidor.

Mesmo assim, o governo do Estado de Minas, mais uma vez, não honra os compromissos assumidos com o trabalhador POLICIAL CIVIL, aplicando-lhe novamente o "CALOTE". Informações desencontradas, dados imprecisos, ausência de respostas é o que se dá como justificativa.

Por essa razão, o SINDEP/MG orienta a categoria representada, notadamente, os Escrivães de Polícia, bem como os demais Policiais Civis, a aderirem a OPERAÇÃO "BRAÇOS CRUZADOS", afinal, se não há pagamento, não há trabalho.

A exceção fica por conta do cumprimento dos ALVARÁS e MANDADOS DE PRISÃO, além dos AUTOS DE PRISÃO EM FLAGRANTE DELITO, que deverão obedecer os procedimentos de acordo com a estrita legalidade (vide LOPC).

A normalidade na prestação dos serviços só deverá ser retomada após a regularização dos pagamentos.


© 2017 - SINDEP/MG

  • Facebook ícone social
  • Instagram

União. Justiça. Valorização.